Bate-papo com André Carvalhal: produção sob demanda e seus benefícios para o meio ambiente

Um dos grandes desafios da indústria da moda é a forma como ela funciona em relação à sua produção. Até hoje, há a necessidade de uma perspectiva de vendas, o que leva muitas vezes a uma produção a mais de itens que acabam não sendo vendidos e sendo necessário fazer uma liquidação para acabar com o estoque parado.

Esse tipo de lógica sempre deu muito trabalho e dor de cabeça…

Mas esse mercado está mudando!

Com a produção sob demanda, esse tipo de planejamento acaba alterando o rumo dessa indústria e vira uma alternativa econômica e ambiental muito mais sustentável.

No bate papo com o André Carvalhal, escritor e especialista em design de sustentabilidade, e o CMO da Dimona, Leonardo Zonenschein, eles conversam sobre a lógica da produção sob demanda e seus benefícios para o meio ambiente:

No artigo abaixo, você confere mais sobre o assunto!

Um pouco sobre o André Carvalhal

André Carvalhal é um dos grandes nomes na área de tendência de comportamento, moda e sustentabilidade. Além de ser escritor, consultor e facilitador nas áreas de marketing, branding e design para sustentabilidade.

Durante 10 anos, foi diretor da marca FARM, onde se destacou pelo ótimo trabalho de construção de marca, ganhando notoriedade e virando consultor na área. Depois de sua longa trajetória na FARM, começou a empreender um negócio de moda colaborativa, a MALHA e, em seguida, foi diretor da marca AHLMA, que tem como foco a moda sustentável.

Seus três best-sellers são Moda com propósito: Manifesto pela grande virada; Viva o fim: Almanaque de um novo mundo – finalista do prêmio Jabuti 2019; e A moda imita a vida.

Horizontes mais sustentáveis no mundo da moda

Na moda, há sempre novas criações, novas coleções… É uma indústria que está sempre em busca de novidades para os consumidores. Porém, existem certos problemas…

Um deles é a fabricação de uma quantidade imensa de roupas que, na maioria dos casos, acaba sobrando no estoque. No bate papo com o Carvalhal, ele pontua o quanto esse tipo de lógica sempre foi uma dor de cabeça, pois as marcas sempre precisavam projetar a quantidade de vendas das peças e ainda pensar em como fazer a liquidação depois.

“Além de toda a complexidade de produzir, tem uma coisa que eu sempre reparei muito e sempre falei muito, que é sobre essa matemática da indústria da moda, essa forma da gente funcionar e de produzir. A gente sempre precisa estar planejando, tentando imaginar qual vai ser a nossa demanda, qual vai ser a nossa venda, empatando um dinheiro muito grande na produção, produzindo primeiro para poder ofertar, já imaginando que no final daquela coleção a gente vai precisar fazer uma liquidação, queimar aquele estoque. A gente já produz sabendo que vai sobrar e essa é uma conta que tem muito para dar errado, não só para marcas novas, mas também para marcas pequenas. E eu já venho há um tempo falando sobre a gente reinventar esse modelo […]”, comenta.

Essa lógica de produção também acaba gerando impactos negativos no meio ambiente: as roupas são produzidas, muita poluição é gerada para, no fim, ainda ter grandes chances das peças ficarem paradas.

Mas, com uma indústria que trabalha com essa lógica da novidade, como diminuir esses impactos?

Uma das alternativas é a criação sob demanda que funciona desta forma: você  produz apenas aquilo que foi realmente comprado pelo cliente. Não sendo necessária uma produção em massa que pode acabar em desperdício. 

“[…] assim, o mercado pode entender, de fato, qual é a necessidade, qual é a vontade do consumidor e produzir a partir disso”, enfatiza Carvalhal.

Ressaltar também que outro grande desafio da indústria da moda está no material usado na produção das peças, mas que o cenário já vem mudando a partir de diversos projetos…

De acordo com dados da ONU Meio Ambiente, a indústria têxtil é uma das mais poluentes. O setor é o segundo que mais consome água e emite até 10% dos gases estufa do planeta. 

E um dos maiores desafios que a indústria enfrenta é desenvolver uma cadeia de produção limpa e sustentável….

Algumas iniciativas já estão caminhando para essa pegada mais ecológica como, por exemplo, a BCI (Better Cotton Initiative) que, inclusive, a Dimona participa através das malhas Quality

Além disso, com uma produção em massa de forma desnecessária, há a questão das tintas usadas nessa indústria. Essas tintas não eram a base d’água, eram feitas com algum tipo de solvente geralmente feito a base de petróleo, que não se dissolve na água. Na hora da lavagem, essas tintas acabavam indo parar nos rios e mares, e intoxicando esses meios.

Hoje em dia, há tintas biodegradáveis que possuem água como solvente e se dissolvem no meio ambiente sem prejudicá-lo e sem deixar resíduos prejudiciais

Dropsimples: a produção sob demanda e com tintas biodegradáveis

Com uma tecnologia cada vez mais avançada, a indústria da moda pode mudar bastante a forma como tem produzido seus produtos sem deixar de trazer sempre novidades…

Pensando nessas alternativas mais sustentáveis e que desse mais possibilidades para que marcas de camisetas pudessem desenvolver seus produtos, a solução Dropsimples nasceu!

O DropSimples é a nossa solução de dropshiping de camisetas, que abre novas possibilidades para que as lojas desenvolvam suas estampas e vendam sob demanda, sem se preocuparem com estoque ou logística. 

Além de facilitar a vida das marcas nessas questões, ainda tem uma pegada sustentável, que é um dos seus grandes diferenciais. As estampas são feitas com tintas biodegradáveis, sem uso de água na produção e com zero emissão de dióxido de carbono.

Mas como isso é possível? 

A solução Dropsimples conta com a nova geração de impressoras da Kornit, a Silk HD. Ela é a técnica de estamparia mais avançada do mundo, uma a evolução da Silk Digital e 3x mais rápida. 

Além de imprimir em HD, com alta definição, reduz o impacto ambiental. Sem utilizar água, a técnica oferece mais de 60 milhões de variações de cores e com ZERO emissão de dióxido de carbono, sendo considerada a considerada a tecnologia mais sustentável do segmento.

E a produção sob demanda, como funciona?

A Silk HD abriu novas possibilidades para a produção de camisetas, pois com a técnica é possível imprimir estampas sem mínimo de peças, sem necessidade de revelar telas e sem limite de cores. Esse método funciona como uma impressora avançada que imprime diretamente no tecido (DTG – direct to garment printer).

Você integra a loja on-line a sua marca de camisas com a plataforma do Dropsimples, a fábrica recebe o pedido conforme a venda, faz a impressão da camiseta com a técnica de Silk HD e envia direto para o seu cliente final.

Com a solução Dropsimples, você consegue diminuir o impacto ambiental de diversas formas: desde a produção da camisa, o material usado e até na diminuição de dióxido de carbono no transporte das peças, uma vez que a produção é local.

“Sustentabilidade é uma jornada que nunca tem fim. É um compromisso de sempre procurar gerar o menor impacto possível naquilo que a gente está fazendo. E quando você consegue reunir em um produto a questão da produção sob demanda, da estamparia, da compensação de carbono ou neutralização de carbono, a tinta biodegradável… Eu acho que é como se a gente fosse ganhando cada vez mais pontos nesse processo rumo a esse caminho de sustentabilidade”, diz Carvalhal sobre a lógica da solução Dropsimples.

Dropsimples sem fronteiras: a internacionalização e descentralização das máquinas

Com o Dropsimples também é possível vender nos Estados Unidos a partir de uma produção local, que está integrada com o sistema brasileiro. Dessa forma, não há necessidade de exportação ou importação de produtos, o que diminui bastante os impactos ambientais.

“Isso é muito legal também por conta da sustentabilidade. Você produzir fora, você também tem um ganho muito grande em relação aos impactos ambientais de emissão de carbono de transporte […]”, pontua Carvalhal.

E essa dinâmica internacional funciona assim: se você é uma marca brasileira e vende para um consumidor americano,  a Dimona USA recebe o pedido na plataforma, estampa sob demanda e entrega localmente para o seu cliente.

Da mesma forma, se uma marca norte-americana vende para um consumidor brasileiro, a Dimona Brasil recebe o pedido, produz localmente e entrega direto ao consumidor.

Dois mercados promissores integrados pela tecnologia, com grande potencial econômico e sustentável!

Propósito e parcerias são as chaves para um mundo mais sustentável

Uma das dicas que Carvalhal dá para empreendedores que querem se jogar nesse mundo da moda é, primeiro, saber o seu propósito: Por que você quer abrir essa marca? Qual será o seu diferencial no mercado? O que você vai trazer de novo? Como a sua marca pode ajudar a resolver algum tipo de problema, alguma situação em que estamos vivendo no mundo?

Depois que seu propósito for identificado, é a hora de buscar os parceiros que vão te ajudar a alcançar esse propósito.

“Buscar inovações, buscar tecnologias que possam ajudar na realização daquele trabalho, na realização daquele projeto”, explica.

Se você está buscando abrir sua marca on-line de camisetas de forma fácil e prática, conheça nosso parceiro há mais de 6 anos, que tem uma plataforma completa e integrada com a solução Dropsimples: a Montink. Com eles, você consegue criar uma loja em poucos minutos e ainda tem um suporte especializado e eficiente.

Caso você já tenha uma loja on-line nas principais plataformas de e-commerce do mercado e quer expandir o seu negócio com a solução Dropsimples, confira aqui como fazer a integração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s