máscaras de proteção que viram “Comida com amor”.

Diante do cenário de incertezas, medo e aflição de todos, a Dimona escolheu colocar em prática um plano emergencial para preservar os postos internos de trabalho e ajudar as comunidades mais vulneráveis. Adaptamos nossa fábrica de camisetas para a produção de máscaras de proteção e estamos destinando parte do faturamento para a compra de cestas básicas que estão sendo entregues em comunidades em vulnerabilidade.

Abrimos duas frentes para levantarmos as compras de cestas básicas:

1 – Através da venda de máscaras de proteção da Dimona (onde 10% das vendas é destinado à doação),

2 – Através do projeto Comvida20 (onde a cada 2 kits vendidos, 1 cesta básica é entregue).

A segunda rodada de entregas de cestas básicas ocorreu na comunidade Indiana, no complexo do Borel, impactando em sua totalidade cerca de 700 pessoas. A cada semana uma comunidade é atendida pela Dimona, e agora estamos contando com o apoio do coletivo Comida Com Amor, em um projeto humanitário que vem complementando nossas doações e fazendo a diferença na vida de muitas famílias também.

Confira como foi a ação na comunidade indiana:

Vídeo e edição: @danielkeroz

Conheça a história do Projeto Comida Com Amor:

O Comida com Amor começou a partir da ideia da Patrícia Villela. Muito preocupada com essa situação e aflita em perceber o agravamento consequente da pandemia do Covid-19, ela decidiu não permanecer na inércia e resolveu fazer a diferença.

Após um post em suas redes sociais, diversos amigos começaram a responder oferecendo suporte. Ela comentou sobre a ideia de distribuir quentinhas para as pessoas que não possuem condição de cozinhar devido à falta de infraestrutura ou insumos como gás, água, alimentos e etc. Colocando sempre o seguinte questionamento: “De que adianta algumas pessoas receberem cesta básica se elas não possuem os recursos para cozinhar essa cesta? As pessoas continuarão passando fome.”

No dia seguinte, Patrícia e seus amigos já possuíam um grupo formado no WhatsApp para começar a pensar em como fazer isso tudo funcionar. A ideia inicial era que cada amigo cozinhasse 20 marmitas dentro de casa, e essas marmitas seriam entregues a alguém responsável em fazer a distribuição nos locais.

Antes mesmo do projeto começar, ele já foi tomando um rumo maior do que o esperado, o que fez com que a operação fosse repensada. A fim de tornar a operação melhor e mais estruturada, os integrantes lançaram uma vaquinha on-line ( https://www.vakinha.com.br/vaquinha/comida-com-amor-no-covid19), que possibilitou a criação de tudo, e aos poucos o projeto foi se desenvolvendo.

A primeira ação já contou com aproximadamente 15 voluntários, na segunda tiveram quase 40 e a cada ação esse grupo foi crescendo. Hoje o projeto conta com 120 voluntários cadastrados e a partir disso, são subdivididos diversos outros grupos focados em viabilizar as ações.

Existe um grupo estratégico com os coordenadores e organizadores, e diversos subgrupos divididos como se fosse uma empresa: tem o grupo de orçamento e compras, financeiro, comunicação e marketing, logística, mapeamento e front (que faz contato direto com as comunidades) e saúde e segurança (com voluntários médicos de diversas áreas que dão orientações sobre IPI e sobre medidas preventivas).

O grupo de voluntários mapeia nas comunidades as famílias que não tem condições de cozinhar a própria comida por falta de recursos básicos como água encanada e gás, e providencia a preparação das marmitas para essas pessoas.

O objetivo é ajudar a superar a fome e amenizar os transtornos causados por esse período de pandemia através da distribuição de alimentos nutritivos para pessoas em vulnerabilidade. Os voluntários entram em contato com a comunidade, vêem a viabilidade de ir até o local e articulam essa ação com os líderes locais.


O cardápio das marmitas é elaborado por nutricionistas voluntárias para distribuir as refeições de forma efetivamente nutritivas, afinal, a alimentação também ajuda a melhorar a imunidade. Além dos itens tradicionais elas levam proteína, verduras/legumes e frutas. E juntamente com cada marmita ou cesta, também é entregue:

  • 1,5l de água por pessoa,
  • 1 kit higiene c/ álcool em gel por pessoa,
  • 1 kit limpeza por família.

A Dimona já era parceira do Comida com Amor na preparação das camisas do projeto, já que todos os voluntários precisam utilizar as camisetas para participar. Além do senso de pertencimento, a camiseta acaba sendo uma identificação para garantir a segurança dos voluntários em áreas de conflagrações.

Agora, com a parceria firmada, os impactos nas entregas foram muito positivos. A Dimona entra com a doação das cestas básicas e o coletivo agrega com as refeições e os kits de limpeza.

“A Parceria da Dimona foi importante, pois conseguimos com as doações de cestas impactar mais pessoas, e daí, surgiu a ideia de podermos amplificar a ação. Ou seja, atendemos famílias que não possuem condições de cozinhar com as marmitas do Comida Com Amor. E as famílias que possuem condições de cozinhar com as cestas da Dimona”, explica Patrícia Villela, idealizadora do projeto Comida Com Amor.

O Covid-19 já mostrou que só estaremos a salvo quando o outro estiver a salvo também. Empresas e marcas possuem ferramentas preciosas em suas mãos e com criatividade podem e devem contribuir para que todos nós possamos superar esse momento. E é isso que a Dimona busca através dessas ações e parcerias.

Quer participar também?

Participe através da compra de máscaras de proteção ou através do projeto Comvida20.

Conheça mais sobre a Dimona em nosso site: www.dimona.com.br

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s