Qual a diferença entre Serigrafia e Silk Screen?

NENHUMA!

É isso mesmo. O termo silk screen do inglês foi traduzido para o português como serigrafia. Eles são apenas nomes diferentes para a mesma técnica.

O Silk Screen tem esse nome pois, na sua primeira aparição na China durante a dinastia Song, usava-se pedaços de seda (em inglês “silk”) presos a uma tela (em inglês “screen”).

Mas como isso tudo veio parar no Brasil?


A serigrafia têxtil veio para o Brasil antes da Segunda Guerra Mundial, com a limitação de estampar apenas quatro cores. As gravações dos desenhos eram feitas em cilindros maciços de cobre, cujas gravações eram efetuadas por pantógrafos em baixo relevo com acabamento por tratamento químico.

E como é o processo de serigrafia?

Como sempre gostamos de lembrar, todo projeto de estamparia começa pela sua arte.

Na serigrafia, a arte precisa ser preparada para a abertura de telas, onde cada cor vai ser uma tela diferente. Vamos explicar passo a passo como funciona:

  1. Usando o programa de edição que você tem mais intimidade, separe sua imagem por cores CMYK.
  2. Agora você deve fazer a retícula de cada imagem, lembrando que cada cor tem uma angulação e grau diferente, devido a espessura de cada tinta.
  3. Salve seu arquivo em alta. Imagens em baixa resolução são inadequadas para esse procedimento, pois a definição dos pontos depende da resolução da imagem.

Abertura de telas

Vamos aprender agora sobre o processo de revelação da tela para serigrafia. Com a arte pronta vamos transformá-la em um fotolito, cujo é um filme transparente que serve como matriz para impressão de qualquer material gráfico. Cada fotolito, vai representar uma cor da sua estampa.

Depois da impressão do fotolito, vamos utilizá-lo para revelação de tela. Ele é colocado com uma moldura de nylon com madeira ou alumínio, por cima de uma mesa de luz que revela tudo que for preto. Nesse processo, o calor e a luminosidade da revelação, queimam as partes da tela cujo fotolito aplicado em cima está preto. Nesse sentido, a tinta passará para o lado do tecido justamente nesses pontos revelados.

Agora vamos estampar!

Na serigrafia, o processo pode ser manual ou automático. Nós da Dimona investimos em tecnologia e qualidade. Por isso temos um máquina automática conhecida como Carrossel, chegando a estampar 600 camisetas por hora! Com suas camisetas nos berços do carrossel, a máquina vai automaticamente rodar e passar a tinta na camiseta.

Veja o processo no vídeo abaixo

Depois disso, pronto. Agora que a tinta foi passada da tela para a blusa, é só esperar secar que a blusa vai estar pronta para ser utilizada!